Canto do King: O Iluminado e Doutor Sono

Coluna Canto do King - Larissa Prado - Canto do Gárgula
Coluna Canto do King – Larissa Prado

As diversas camadas de O Iluminado e Doutor Sono

No segundo artigo da coluna Canto do King, série onde analiso as obras de Stephen King, trago duas de suas histórias mais famosas O Iluminado e Doutor Sono. A primeira (já resenhada aqui no blog), conquistou maior popularidade após a adaptação cinematográfica feita por Stanley Kubrick em 1980. Doutor Sono, já se propõe a ser a continuação e desfecho de fatos que ficaram em aberto no enredo de O Iluminado.

Ao relermos O Iluminado e em seguida Doutor Sono alguns detalhes podem ser percebidos de maneira mais atenta. Nessas histórias criadas por King o que é simples na realidade esconde atrás de si um arcabouço maior de reflexão. Comecemos analisando a figura de Jack Torrance, o protagonista de O Iluminado.

Ambas as publicações são da Editora Suma e a tradução de O Iluminado fica ao encargo de Betty Ramos de Albuquerque e de Doutor Sono fica ao encargo de Roberto Grey.

Jack Torrance e a “coisa ruim”

Jack passa por uma transformação psicológica-comportamental ao se isolar no Hotel Overlook para terminar seu livro. Esse personagem é assombrado pela “coisa ruim”. Citamos esse termo na análise anterior. O autor o utiliza constantemente em suas histórias. O que leva Jack Torrance a se tornar um assassino psicótico?

Durante toda história de O Iluminado vemos a descida de Jack. De um homem normal até o clímax da perseguição empunhando um bastão de beisebol ou o machado atrás da esposa Wendy e do filho Danny. Em vários momentos, tentamos compreender quais foram os elementos motivadores da transformação de Jack Torrance.

No início, o autor nos faz crer que o isolamento é o problema. Acreditamos que a loucura pela falta de interação com o mundo externo é a chave do problema. Assim uma mente com tendências psicóticas sofreria a transformação na mente, como ocorreu com o protagonista. Porém, no decorrer dos acontecimentos no Hotel Overlook passamos a conhecer as facetas do sobrenatural que King introduz pouco a pouco.

Mais do que um ataque psicótico

A narrativa nos mostra que Jack Torrance sempre possuiu tendências ao alcoolismo desde os tempos de juventude. A própria esposa Wendy aprofunda-se em reflexões sobre as sutis transformações de comportamento do marido que se assemelham aos momentos que ele se encontrava alcoolizado. A falta de bebidas alcoólicas no interior do Hotel elimina a possibilidade de Jack estar sofrendo delírios através da ingestão de álcool. O ponto de vista de Danny nos fornece uma visão mais terna de Jack. Apesar de ter sido vítima da agressividade do pai, Danny mantém o carinho e admiração.

Jack Torrance não está padecendo simplesmente de acessos paranoicos causados pelo isolamento, pressão do trabalho, falta de álcool no organismo, resquícios de uma infância problemática. Esses elementos fazem parte do mundo real, do aceitável em nosso cotidiano. Eles que explicariam racionalmente sua degradação comportamental. Elementos que Wendy procura aceitar para tentar superar o período que precisa passar no Overlook dando apoio ao marido.

À medida que o romance se aproxima do clímax, os elementos sobrenaturais passam a estrutura da narrativa e dão a ela o caráter assustador e sombrio. Jack Torrance está sendo influenciado por forças do Hotel Overlook, é como se o Hotel usasse Jack para cumprir uma antiga maldição. A presença de fantasmas, almas atormentadas que morreram no local, permite à Jack manter uma relação real com elas, como se existissem de fato. Isso torna o Overlook quase como um personagem palpável na obra.

Overlook como uma entidade viva e o dom da iluminação

A queda de Jack levanta uma questão. Por que ele foi o escolhido para ser o instrumento da vontade maligna do Overlook?

Para responder essa questão precisamos analisar Danny Torrance, o filho de Jack, o elemento central da narrativa e o protagonista de Doutor Sono. Danny possui um dom, outro elemento fantástico das duas obras, a Iluminação. King nos mostra que ele não é o único a possuir tal peculiaridade. Em O Iluminado Danny conhece o cozinheiro do Hotel, Dick Hallorann. Ele se aproxima do garoto se tornando seu único amigo em meio àquilo que um garotinho não consegue entender.

A Iluminação de Danny é tão forte que Dick se surpreende e se compromete a ajudar o garoto. Resumidamente, os Iluminados são aquelas pessoas que conseguem se comunicar mentalmente com outros. Eles também conseguem ler o que está na mente das pessoas, seus pensamentos, vontades. Danny consegue se comunicar com Dick mesmo que ele esteja viajando para outro estado no país, seu poder é forte.

A iluminação de Danny

A Iluminação de Danny, porém, é uma benção. O salvou do pai quando ele estava sob efeito do Overlook, mas é também uma maldição. As forças malignas do hotel queriam o garoto para si. Compreendemos que esse dom é de total interesse do Overlook e por isso, Jack Torrance foi usado para trazer o filho para eles. Jack é suscetível às influências de tais forças, talvez por suas tendências à agressividade, seu passado problemático e violento sendo criado por um pai alcoólatra. Não sabemos ao certo porque Jack se deixa envolver tanto pelo hotel, mas arrisco dizer algo que provavelmente poucos se atentaram.

Jack é um escritor. Só isso já torna sua mente mais suscetível à lapsos dissociativos da realidade, e resolve escrever sobre o passado negro do Hotel, toda sua mente e concentração se debruçam sobre a investigação desse passado. Jack acaba mexendo em fatos obscuros que aconteceram no Hotel, reavivando memórias há muito sepultadas.

Realidades paralelas

Esse intenso fluxo de rememoração pode ter desencadeado sua fuga para uma realidade paralela. Essa realidade existe apenas no interior do Overlook e que no passado também influenciou outros hóspedes e funcionários a serem acometidos pela “coisa ruim”.

Nas cenas que se passam no bar do hotel Jack se vê envolvido por uma festa, cercado por antigos hóspedes e personagens já mortos. King quase nos faz acreditar que de fato aquilo tudo está acontecendo. É como se Jack estivesse vivendo em um passado morto, sendo parte daquela realidade. O elemento estranho se torna evidente quando Wendy, presa no quarto por medo do marido, também escuta ruídos de festa vindos do salão do hotel. Nesse momento nos perguntamos até que ponto aquela realidade paralela envolve apenas a mente de Jack?

Uma vez que Wendy, a personagem mais sensata da história, também escuta tais ruídos, a loucura da mente de Jack não é apenas dele. Ela envolve os três elementos da família Torrance, cada um de uma maneira particular. Porém, é a figura de Jack Torrance que nos traz todos elementos do horror da história. Ao fim da obra até mesmo a voz de Jack não lhe pertence mais. As descrições do pânico vivido por Wendy e pelo filho Danny são perturbadoras.

Doutor Sono e o Verdadeiro Nó

Voltando ao personagem central Danny, em Doutor Sono o dom da Iluminação é aprofundado. Danny se encontra já adulto, a mãe está morta e o amigo da infância Dick também. Ele se encontra sozinho em um mundo que existem cada vez menos iluminados. Com o tempo para de usar o seu dom, até que encontra Abra Stone, uma adolescente tão – ou mais – iluminada que ele. Estabelece-se aí uma relação onde Danny se vê no lugar do seu antigo amigo Dick, pois, auxilia Abra a lidar com esse dom/maldição. Abra e Danny travam uma luta perigosa contra um grupo de fanáticos autoproclamados O Verdadeiro Nó.

O Verdadeiro Nó

Esse grupo de indivíduos compõe-se de velhos viajantes que usam trailers para se deslocar pelo país. Suas aparências não denotam qualquer tipo de perigo, são apenas velhinhos ou senhoras de meia-idade, mas o que está por trás do grupo é assustador. Os personagens do Verdadeiro Nó são as criações de King que mais se aproximam de vampiros, de fato, eles realizam vampirismo.

Diferente da definição clássica de vampiros os componentes do Verdadeiro Nó se alimentam de crianças iluminadas. Eles não são mortos-vivos que se alimentam de sangue, repousam em caixões e que só saem à noite. O dom da Iluminação é o que os mantém vivos e saudáveis por anos e até mesmo séculos. A líder do grupo, Rose da Cartola, é a principal inimiga de Abra e Danny. Eles precisam lidar com ela que é a mais poderosa dos indivíduos do Verdadeiro Nó. Não entrarei no embate entre os iluminados e essas criaturas durante a narrativa de Doutor Sono. Falaremos apenas da intersecção entre o Hotel Overlook e a última batalha entre Rose e Abra.

A batalha final em Doutor Sono

Há uma batalha final travada entre Rose da Cartola e Abra Stone auxiliada por Danny, e onde o Hotel Overlook reaparece. O grupo do Verdadeiro Nó deixa claro no decorrer da narrativa que no Hotel se tornam mais fortes. Apenas ali podem vencer o poder conjunto de Danny e Abra, os dois maiores iluminados. O que nos leva a relembrar os fatos que levaram à destruição de Jack Torrance. As forças do Hotel Overlook tinham interesse em manter Danny para eles. Seu dom da iluminação lhes era importante para permanecerem vivos, o que nos leva a conexão com os indivíduos do Verdadeiro Nó. As forças que envolviam Overlook, provavelmente, estavam ligadas a essas criaturas vampíricas que se alimentavam da Iluminação. O desfecho de Doutor Sono encerra definitivamente as histórias tenebrosas que cercaram O Iluminado, explicando muito dos fatos sobrenaturais que transformaram a mente de Jack.

E no fim, O Iluminado ainda guarda mistérios

Há brechas entre uma história e outra que permanecem em suspenso justamente para dar às obras seu teor fantástico. Jack Torrance ainda é um dos personagens mais curiosos a serem analisados, apesar de Danny ser a espinha dorsal dos dois livros. Jack é o memorável personagem que esconde atrás de si mistérios irresolúveis que compõe ambas as obras.

Isso fez com que o O Iluminado seja um dos thrillers mais terríveis de toda obra de Stephen King. Ressalto que Jack (assim como o personagem Scott de LOVE – a história de Lisey) possui traços autobiográficos. King passou por períodos de alcoolismo, uso de entorpecentes e experiências de quase morte durante sua vida. Muitos dos fantasmas que atormentam Jack Torrance podem ser os próprios fantasmas do autor. Por isso alguns elementos de O Iluminado se tornam ainda mais mistérios à medida que o revisitamos.

Larissa Prado - Escritora - Canto do Gárgula
Larissa Prado – Escritora

Para aqueles que ainda não conhecem o trabalho de Stephen King recomendo O Iluminado seguido de Doutor Sono. Em ambos você poderá compreender a proposta única de horror psicológico proposta pelo autor nessas duas obras que se complementam!

Até a próxima segunda-feira! Iremos então analisar o macabro limiar entre vida e morte nas obras O Cemitério e Revival!

Agora adquira o seu!

Suas compras através de nossos links ajudam a manter o blog.
Basta clicar nas imagens abaixo e comprar na loja virtual!

Quer comprar outros livros de Stephen King?
Clique aqui para ver seus outros títulos!

Quer comprar outros livros de Larissa Prado?
Clique aqui para ver seus outros títulos!

Se você curtiu esta postagem, clique no botão curtir e deixe um comentário abaixo para que possamos trocar mais ideias!

Um comentário em “Canto do King: O Iluminado e Doutor Sono

Adicione o seu

Deixe uma resposta

Powered by WordPress.com. Tema: Baskerville 2 por Anders Noren

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: