A Parábola do Semeador, de Octavia Butler

Mais um pouco desta rainha das palavras

Terminei de ler A Parábola do Semeador, de Octavia Butler, mas estava nitidamente postergando a leitura. Não queria que terminasse. Isso se deu muito por conta da qualidade do texto da autora. É bom demais ler suas histórias!

A Parábola do Semeador - Octavia Butler - Editora Morro Branco
A Parábola do Semeador – Octavia Butler – Editora Morro Branco

O livro é uma publicação da Editora Morro Branco e traduzido por Carolina Caires Coelho. Esta história é uma distopia escrita em 1993, mas que é certamente muito atual. 

Muito mais do que uma leitura 

Octavia Butler resolveu neste livro tratar várias camadas críticas simultaneamente. Temos como cenário uma distopia. Um desastre ambiental e econômico leva o mundo a um limiar perigoso. As pessoas vivem em comunidades pequenas e muradas. Quem vive na rua vaga sem rumo a espera da morte. Sobretudo todos estão muito desesperançosos. Tudo é escasso e todos vivem com medo de invasões de grupos de drogados.

A reflexão se faz de várias maneiras. A fina casca da civilização se rompeu, portanto, a partir deste evento a barbárie ganhou espaço. Apesar de parecer um tema repetido, por causa de sua escrita que ele ganha novos ares. Qual é o nosso limite diante de um cenário infernal? 

Nesta desolação ela desenha personagens humanos, possíveis e reais. Ao leitor, cabe a identificação com eles. Impossível não refletir sobre suas próprias decisões dentro da situação apresentada. 

A mudança ganha notoriedade

A autora ainda mostra outras reflexões junto com o nascimento de uma nova religião. Muitos podem torcer o nariz pela mensagem messiânica. Em contrapartida temos um pensamento poderoso vindo à tona. O inevitável choque entre o velho e novo acontece.

Antigos deuses são indagados de alguma forma sobre os rumos do mundo. Precisamos realmente deles? Eles tem alguma resposta? A nova religião, em contrapartida, consegue responder os anceios daquele grupo humano? Simplesmente genial acompanhar este pensamento. 

Relacionamentos, desafios e sentimentos em conflito fazem desta leitura uma experiência única. Quanto mais podemos esticar a corda do mundo que construímos sem ela arrebentar. Quais serão os problemas que iremos defrontar caso isso aconteça? 

Octavia decerto nos responde algumas destas perguntas. Em alguns momentos seu texto soa até profético e assustador. É nítida a crítica social à sociedade americana protestante. O final fica bem aberto e a história deve fazer mais sentido no livro seguinte, A Parábola dos Talentos. Não é o melhor livro dela, na minha opinião, mas é muito bom.

Considerações finais

Em resumo, leiam Octavia Butler. Sem dúvida ela é um marco na literatura mundial. Mulher, negra e visionária. Pilares que muitos achariam impossíveis ser o sustentáculo de uma escritora de ficção científica. Mas pelo contrário, ela mostra ser sim os melhores pilares já unidos! 

Octavia E Butler - Escritora
Octavia E Butler – Escritora

Eu sou fã dela, incondicionalmente. Resta à você dar espaço para a autora nas suas leituras. Entretanto te alerto pois será um caminho sem volta. 

Boa leitura! 

Agora adquira o seu!

Suas compras através de nossos links ajudam a manter o blog.
Basta clicar nas imagens abaixo e comprar na loja virtual!

Quer comprar outros títulos da Editora Morro Branco?
Clique aqui para ver outros títulos dessa editora!

Se você curtiu esta postagem, clique no botão curtir e deixe um comentário abaixo para que possamos trocar mais ideias!

Seja um Apoiador do blog!
Seja um Apoiador do blog!

Temos um Clube de Assinatura no Catarse

2 comentários em “A Parábola do Semeador, de Octavia Butler

Adicione o seu

  1. Nunca pensei que fosse gostar tanto de alguém que escreve ficção científica, mas para a minha grata surpresa amei as obras da Octavia Butler.
    Parece que ela senta do nosso lado e narra a história.
    Concordo que esse não é um dos melhores livros dela, mas com certeza levanta muitos questionamentos.

Deixe uma resposta

Powered by WordPress.com. Tema: Baskerville 2 por Anders Noren

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: