O Melhor do Terror Nacional

Adentrando as trevas

Assim que você começa a ler a coletânea O Melhor do Terror Nacional, publicação da Luva Editora, quem nos recepciona é Cesar Bravo. Alías, seu prefácio é a lembrança do que iremos encontrar nesta antologia. São certamente boas palavras em meio ao mar de estranhezas que iremos nos defrontar. 

O melhor do terror nacional - Organizado por A T Sergio e Mhorgana Alessandra - Luva Editora

Organizado por A.T. Sergio e Mhorgana Alessandra, este livro é inegavelmente uma das melhores coletâneas nacionais de terror. A obra é dividida em áreas distintas, que buscam agrupar histórias através de um traço comum. Gostei bastante desta opção.

Folclórico

Procissão da Morte, de Larissa Prado 

Fiquei muito feliz ao descobrir que o primeiro conto é de Larissa Prado. Minha amiga goiana sem dúvida alguma possui um talento ímpar para narrar o insólito. Nesta procissão, quem entra pode acabar pagando caro demais. 

Esquadrão Icoaraci, de Caesar Charone

Caesar Charone nos apresenta uma realidade brutal, onde lendas do folclore são tão reais quanto qualquer animal. Aliado a isso, temos um conto que mescla elementos de ficção científica e terror dentro de uma atmosfera militarizada. Bem interessante o desfecho. 

Ana, de Carolina Mancini

O conto de Carolina Mancini nos mostra a dura trajetória de aceitação de si mesmo, utilizando o horror como veículo. Não deixo de lembrar de O Médico e o Monstro, de Robert Louis Stevenson, de alguma forma. Onde reside o pior de você? 

Vale comentar que todas as artes são dela. Seu olhar apurado conseguiu captar não só a essência de cada conto, assim como deixar o leitor com a curiosidade necessária para iniciar a leitura.

Aquele que nos visita na rede, de Julia do Passo Ramalho 

Ver uma escritora usar o nosso folclore é sempre muito gratificante. Nossas lendas são decerto ricas, portanto elas não só podem, assim como devem ser mais exploradas. Julia do Passo Ramalho fez isso nesta história certamente. Terrível e assustadora, como a maioria das lendas devem ser, nesta história temos a visão do próprio ser mítico durante a narração. Indico demais a leitura. 

Psicológico

Aqueles que vigiam e aqueles que vagam, de Hedjan C. S. 

Se você ainda não leu nada de Hedjan C. S., sinto lhe informar, mas está perdendo tempo. Mais uma vez seu texto ágil insere o leitor em uma atmosfera intrigante onde não existem respostas. Por fim, decida o que realmente aconteceu. Assim que terminar de ler este texto busque mais trabalhos desse autor maravilhoso! Ele merece sua leitura!

Marina, de Fernanda Braite

Prepare-se para um conto daqueles que te pega e não te larga. Poderia facilmente estar na TV e ser um episódio de Além da Imaginação. Com um texto gostoso de ler, Fernanda Braite te leva por um encontro para lá de peculiar, que vai começar a desenterrar lembranças há muito esquecidas. Simplesmente sensacional! 

Eu te liberto, de Úrsula Antunes 

Nesta história somos apresentados a uma sina que atravessa o tempo maculando uma família. Úrsula Antunes não poupa esforços nas referências históricas da cidade do Rio de Janeiro, levando o leitor por uma viagem não só terrível, como também bela. Certos amores aliás podem ser uma maldição. Muito bom o conto. 

Objetos Amaldiçoados

Acervo Especial de Obras Raras, de Wellington Pequeno 

Nada como adentrar em um relato de pesquisa. A investigação é um tema muito comum dentro do horror, afinal, as circunstâncias que envolvem casos estranhos demandam sem dúvida conhecimento. Este conto exemplifica isso de uma forma muito legal. Wellington Pequeno criou um texto fácil e gostoso de ler que nos leva a um final muito bem escrito e clássico no tema. 

Jurupari, de Júlio Cesar

Objetos e suas lendas sempre nos chamam atenção. Se forem parte de um mal então, mais ainda. Unindo temas clássicos do horror, Júlio César nos leva por uma história sórdida onde algo muito antigo volta para assolar pessoas simples. Bem bolada a história. 

Cada olho que furei tinha um nome, de Rodrigo Ortiz Vinholo 

Um dos melhores contos desta coletânea sem dúvida alguma, foi escrito por Rodrigo Ortiz Vinholo. Uma premissa não só interessante, como também macabra e que consegue despertar o interesse do leitor por mais informações.

Nos vemos curiosos em saber o que o uso de mais olhos irão adicionar ao conhecimento do personagem. Isso nos torna pessoas ruins? Talvez o ser humano seja exatamente isso, enquanto nós apenas criamos uma aura de civilização que camufla desejos perversos. Quem vai saber? 

Espírito zombeteiro, de Fabiano Soares 

O horror sempre é um veículo incrível para incutir reflexões profundas. Fabiano Soares cria uma história bem legal, na qual uma inocente brincadeira do copo sela destinos. Quem nunca brincou com um copo desta forma? Vale ler. 

Lugares assombrados 

Libertas quae sera tamem, de Mhorgana Alessandra 

Uma história sinistra de um fantasma que teima em levar almas de tempos em tempos. Fatos estranhos dão veracidade à lenda que segue atravessando a história. Verdade ou mito, o certo é que lugares amaldiçoados sempre nos prendem à atenção. Mhorgana Alessandra te leva por uma lenda histórica muito legal explorando suas origens mineiras.

A casa das crianças que fogem da luz, de Willian Douglas Fernandes 

Certos lugares ganham fama por motivos realmente estranhos. Se forem afastados então já se tornam mais tenebrosos. Neste conto de Willian Douglas Fernandes temos um sinistro refúgio que se alimenta do mal do mundo. De alguma forma me lembrou Peter Pan com uma pegada muito dantesca. Vale ler. 

Fique em silêncio, de Simone Paulino

Simone Paulino construiu uma história incrível onde erros do passado entram em conflito e buscam vingança. Isso permite que a autora coloque na mesa temas muito discutidos hoje em dia, com bastante maestria. Curti demais! 

Minha casa, por A. T. Sérgio 

Certas tarefas precisam ser feitas, goste você ou não. Algumas inclusive poderão cair no seu colo sem você ter ideia de que são sua responsabilidade.

Temos um bom exemplo aqui nesta história de A.T. Sergio, onde o protagonista precisa aprender a cuidar com atenção do que lhe foi pedido. Maldição? Obrigação? Paz? Decida por si só ao ler este conto. Entretanto vou te contar um segredinho que o autor me confidenciou: apesar de romanceado, é baseado em fatos reais! 

Terrir

Velórios & Furiosos, de Vitto Graziano e Fabiano Soares 

Trocadilho maravilhoso com o filme Velozes e Furiosos, este conto mostra uma corrida por um enterro através das ruas do Rio de Janeiro. Três filhos de três bandidos buscando enterrar seus velhos pais na única sepultura vaga que tinha uma estátua de São Jorge. Bem legal o desfecho. Parabéns à dupla!

Considerações finais

Sem dúvida alguma coloco este livro como uma das melhores coletâneas de contos de terror da atualidade. O método de escolha dos contos, feito às cegas entre os dois organizadores, inegavelmente garantiu que a qualidade de todos as histórias fossem muito além do normal.

Certamente o procedimento editorial garantiu a criação de uma obra tão vasta em qualidade e diversidade. Aqui estão não apenas autores conhecidos, assim como alguns novatos. Isso mostra para mim como um método bem determinado foi democrático e premiou, em suma, o talento.

Boa leitura.

Agora adquira o seu!

Suas compras através de nossos links ajudam a manter o blog.
Basta clicar nas imagens abaixo e comprar na loja virtual!

Quer comprar outros títulos da Luva Editora?
Clique aqui para ver outros títulos dessa editora!

Se você curtiu esta postagem, clique no botão curtir e deixe um comentário abaixo para que possamos trocar mais ideias!

Canto do Gárgula - Catarse
SEJA UM PATROCINADOR DO CANAL!

2 comentários em “O Melhor do Terror Nacional

Adicione o seu

  1. Uma antologia que foi pensada para ficar excelente: da seleção até os detalhes gráficos e os convidados. Muito feliz em ter tido o privilégio de participar dela!

Deixe uma resposta

Powered by WordPress.com. Tema: Baskerville 2 por Anders Noren

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: