Fantasmagoriana – Campanha no Catarse

Os contos alemães que influenciaram Frankenstein!

As Editoras Sebo Clepsidra e Aetia lançaram a campanha de financiamento coletivo no Catarse da obra Fantasmagoriana. Esta antologia francesa foi compilada em 1812 por Jean-Baptiste Benoît Eyriès e reuniu traduções de oito narrativas alemãs de fantasma escritas por quatro autores diferentes.

Fantasmagoriana - Jean-Baptiste Benoit Eyriès - Sebo Clepsidra
Fantasmagoriana – Jean-Baptiste Benoit Eyriès – Sebo Clepsidra

Veja o vídeo da campanha abaixo:

Este livro, um não somente na Schauerliteratur (“literatura de calafrios”, a equivalente alemã à literatura gótica britânica), assim como se tornou célebre e certamente definiu seu lugar na história da literatura de horror. Foi assim que o grupo formado por Lord Byron, Percy Shelley, Mary Godwin (futuramente conhecida como Mary Shelley), John William Polidori e Claire Clairmont leu os contos deste livro durante uma noite tempestuosa na Villa Diodati, em 1816. Desta noite nasceram algumas das obras mais importantes da literatura, como O Vampiro e Frankenstein.

O livro

O livro é o quarto volume da coleção Imaginário Gótico (editoras Sebo Clepsidra e Aetia), composta por edições de referência de clássicos góticos e por importantes títulos da tradição gótica que permanecem inéditos no Brasil.

Coleção Imaginário Gótico - Sebo Clepsidra
Coleção Imaginário Gótico – Sebo Clepsidra

A encadernação é em capa dura, com 16 por 22 cm e cerca de 240 páginas, entretanto esse número pode aumentar conforme batermos metas estendidas. A impressão será feita em papel off-white (Pólen ou semelhante, amarelado, para tornar dessa forma a leitura mais confortável).

A cor escolhida para a lombada e a quarta capa deste volume foi o roxo, e analogamente a pintura escolhida para compor a capa foi a belíssima O Fantasma (1898), do tcheco Josef Mandl, trazendo a ideia do sobrenatural.

Textos complementares

Cid Vale Ferreira assina o Prefácio e certamente já estamos curiosos por este texto. Além disso, já estão divulgadas inúmeras metas com o propósito de acrescentar mais material ao livro, como por exemplo:

META ESTENDIDA DE 160%:
“O franco-atirador”, conto de Johann August Apel
META ESTENDIDA DE 180%:
“Sobre ‘O franco-atirador'”, por Felipe Vale da Silva
META ESTENDIDA DE 200%:
“A tempestade”, conto de Sarah Elizabeth Utterson
META ESTENDIDA DE 220%:
“Sobre ‘A tempestade'”, por Cid Vale Ferreira
META ESTENDIDA DE 240%:
“Sobre fantasmas”, ensaio de Mary Shelley
META ESTENDIDA DE 260%:
“Mary Shelley, Diodati e Fantasmagoriana” (título provisório), por Carlos Primati

O autor

Quatro autores são os responsáveis pelos contos. Seguem pequenas biografias e cada um abaixo.

Fantasmagoriana - Jean-Baptiste Benoit Eyriès - Sebo Clepsidra
Apel, Clauren, Musäus e Laun, os autores das oito narrativas do Fantasmagoriana

Laun e Apel

Friedrich Laun (pseudônimo de Friedrich August Schulze, 1779-1849) e Johann August Apel (1771-1816) publicaram a antologia Gespensterbuch [O Livro dos Fantasmas]em cinco volumes, entre os anos de 1810 e 1815. Na Alemanha, a obra se destacou sobretudo por sua recepção no meio musical e por parte de grandes expoentes do gênero do horror. Apel, porém, faleceu de causas naturais antes de poder ver a repercussão de seu livro. Anteriormente sua fama vinha de sua carreira de advogado na cidade de Leipzig e de suas contribuições para a filologia antiga.

Laun foi amigo de Apel nos tempos de universidade. Vindo de uma família abastada de banqueiros, por conseqüência tornou a escrita de literatura de entretenimento seu principal passatempo de juventude. Seu primeiro romance explora um dos temas preferidos da época: sociedades secretas e conspirações (Die grauen Brüder oder der Bund der Schrecklichen, 1795). Entretanto, na época de seu lançamento, já frequentava os meios literário da cidade de Dresden. Por isso acabou travando relações com E. T. A. Hoffmann, Jean Paul, Friedrich Schlegel, Ludwig Tieck, além daquele que ajudaria a colocá-lo no mapa da cultura universal, Friedrich Kind.

Musäus

Johann Karl August Musäus (1735-1787) faleceu antes de os outros dois autores atingirem a maturidade. Sua inclusão no volume de Fantasmagoriana se deu, em suma, por uma questão de preferência de seu organizador. Musäus não pertenceu ao Romantismo, mas divulgou ideias iluministas. Seus numerosos contos de fada, diferentemente dos contos de Grimm ou Tieck, são adaptações de historietas da tradição popular com desfechos pedagógicos e racionalistas. Eles são, dessa maneira, adaptações de lendas populares que combatem a superstição e crença no sobrenatural.

Clauren

Por fim Heinrich Clauren (1771-1854), contemporâneo dos autores do Gespensterbuch. Apesar de muito criticado em seu país de origem como escritor pouco original, teve divulgação privilegiada em revistas literárias britânicas. Aliás, seu conto Räuberturm. Ein wahres Abenteuer, publicado em tradução na Blackwood’s Edinburgh Magazine (edição de 1828), serviu de base para Edgar Allan Poe escrever seu magistral “A Queda da Casa de Usher. Só para ilustrar, Clauren foi uma adição tardia do organizador de Fantasmagoriana, e bastante acertada devido ao seu alcance internacional.

Devemos apoiar sempre a cultura!

Em suma apoiar esta campanha de financiamento no Catarse do livro Fantasmagoriana, de Jean-Baptiste Benoît Eyriès, é realmente muito importante. Trabalhos como o que as editoras Sebo Clepsidra e Aetia fazem são fundamentais para a literatura em língua portuguesa. Acompanhar estas editoras é o mínimo que você pode fazer, mas se quer uma opinião, apoiar a campanha é atirar na mosca, pois assim você faz parte deste movimento incrível.

Não deixe de apoiar as editoras independentes!

Apoie a cultura!

Se você curtiu esta postagem, clique no botão curtir e deixe um comentário abaixo para que possamos trocar mais ideias!

Canto do Gárgula - Catarse
SEJA UM PATROCINADOR DO CANAL!

Deixe uma resposta

Powered by WordPress.com. Tema: Baskerville 2 por Anders Noren

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: