Neonomicon – a polêmica obra de Alan Moore

Retorno nesta leitura depois de anos

Reli Neonomicon, a polêmica obra de Alan Moore, depois de muitos anos. Como ganhei Providence de amigo oculto, por isso achei interesante voltar à obra onde Moore homenageou a obra de H. P. Lovecraft

Neonomicon, a polêmica obra de Alan Moore

Publicado pela Editora Panini, com tradução e prefácio de Guilherme Braga, este quadrinho tem o roteiro de Alan Moore e a arte de Jacen Burrows. Dividida em duas partes originalmente, este volume reúne primeiramente os números 1 e 2 de O Pátio, para então compilar os volumes de 1 a 4 de Neonomicon.

O Pátio 

A história começa com uma investigação federal tocada por um agente que se baseia na Teoria da Anomalia. Ele explica ainda no início como consegue ligar casos aparentemente sem conexão através de detalhes muito pequenos e insignificantes. 

Capa antiga

A investigação relaciona misteriosos assassinatos e leva o investigador a se deparar com o inimaginável. Tudo isso soa bem lovecraftiano e é inegavelmente uma belíssima construção. 

Aqui temos uma história fechada, que já exige do leitor um pouco de atenção. Assim como Lovecraft nos apresenta sons que não são sons ou cores que não são cores, temos uma linha idêntica em Neonomicon, onde será  apresentado ao leitor uma droga diferente de tudo o que ele imaginou. 

Um enorme rol de referências

As referências feitas aos Mitos de Cthulhu são inúmeras e várias delas podem, por isso, passar despercebidas por muitos leitores. Neste ponto caberia um glossário explicando-as, como os que existem nas histórias do Hellboy no Brasil. Certamente ajuda muito quem lê.

Apesar disso, a história é repleta delas e vale aos mais curiosos procurar algumas das palavras negritadas como Aklo, Carcosa, Ulthar e Leng, por exemplo. 

Neonomicon 

A história começa após os acontecimentos nefastos de O Pátio. Agora, num tom mais moderno, sabemos até o nome do agente que narra os eventos da primeira parte: Aldo Sax

O enredo segue bem, mantendo suas inúmeras referências e misturando o real com o imaginário. Mas Moore derrapa em uma sequência brutal de violência sexual. Deste ponto em diante a história, na minha opinião, perde o tom. A sutileza do horror indizível se torna a obviedade de uma visão deturpada. Como disse antes, não vai agradar a muitos e certamente não me agradou. 

O que o enredo de O Pátio inegavelmente acerta, Neonomicon erra feio. Fica uma sensação de que por ser Moore quem é, isso lhe dá o direito de escrever o que quiser. Não acho essa premissa verdadeira e ele infelizmente perdeu uma chance boa de construir um excelente final. 

Uma homenagem polêmica 

Alan Moore é uma figura insólita por si só. Assinou alguns dos mais memoráveis quadrinhos de todos os tempos e que encontram-se na grande maioria das coleções mundo afora. Gênio da nona arte, sem dúvida alguma, infelizmente aqui ele erra na segunda narrativa. Poderia sim ter sido uma homenagem grandiosa à obra de H. P. Lovecraft, mas se perde em meio a exageros desnecessários. 

Detalhe da capa e contracapa antiga

Considerações finais 

Em suma, o autor inegavelmente exagera na sexualidade brutal. Propositadamente ou não, choca e não vai agradar a todos, como não me agradou. Mas não descarto a leitura. Faça e vamos conversar. Neonomicon é certamente uma obra polêmica e Alan Moore sabia disso.

Veremos muito das piores facetas de Lovecraft como o racismo e os problemas com sexo, mas o que poderia ser apenas uma critica, acaba indo além. Irei ler Providence onde ele parece ter acertado – vamos ver. 

Boa leitura! 

Agora adquira o seu!

Suas compras através de nossos links ajudam a manter o blog.
Basta clicar nas imagens abaixo e comprar na loja virtual!

Quer comprar outros títulos da Panini Editora?
Clique aqui para ver outros títulos dessa editora!

Se você curtiu esta postagem, clique no botão curtir e deixe um comentário abaixo para que possamos trocar mais ideias!

Canto do Gárgula - Catarse
SEJA UM PATROCINADOR DO CANAL!

2 comentários em “Neonomicon – a polêmica obra de Alan Moore

Adicione o seu

Deixe uma resposta

Powered by WordPress.com. por Anders Noren

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: