Olhando para trás: de 2000 a 1887 – Campanha no Catarse

Uma ficção científica socialista

A Editora Aetia abriu a campanha de financiamento coletivo no Catarse do livro Olhando para trás: de 2000 a 1887 de Edward Bellamy. O livro de 1888 é certamente uma obra prima da ficção científica socialista e chega agora ao Brasil!

Olhando para trás: de 2000 a 1887, de Edward Bellamy, publicação da Editora Aetia
Olhando para trás: de 2000 a 1887, de Edward Bellamy, publicação da Editora Aetia em campanha no Catarse

Ademais, o livro é o terceiro volume da coleção biblioteca socialista da editora Aetia (confira os títulos anteriores aqui). O autor aborda em sua obra a visão de uma sociedade onde o socialismo se torna a opção, isto quando o tema era visto nos EUA apenas como uma ideia importada da Europa. Através do livro, introduziu a teorias e visões de um futuro em que os meios de produção seriam controlados pelos trabalhadores.

Importância para a ficção científica

Sua importância para a ficção científica inegavelmente é enorme. Bem como introduz conceitos básicos do socialismo como renda básica universal e governo do proletariado, Bellamy em sua visão visionária, ao mesmo tempo apresenta inovações em termos de desenvolvimentos tecnológicos. A substituição do dinheiro por um “cartão de crédito” (o autor cunha esse termo) surpreendentemente foi concebido em seu universo de ficção científica já em 1880. Posteriormente, a Diners Club introduz o primeiro cartão de crédito no mercado, somente sete décadas depois.

Da mesma forma inovadora, outra inovação é um sistemas de música sob demanda, que poderia ser ouvida por telefone, numa espécie de Spotify antes da era do rádio e do computador. Além disso temos também guarda-chuvas instalado nas marquises de edifícios, dessa forma predizendo o clima local. De maneira idêntica temos enormes tubos que despacham, via pressão do ar, mercadorias de grandes galpões até a casa das pessoas.

Em síntese, tudo aquilo não passava de sonhos de um geek de tecnologia. Ainda assim, Bellamy acabou errando em uma coisa: na ideia de que a tecnologia de ponta traria, acima de tudo, justiça social, com a distribuição das grandes invenções para toda a população. Isso, é claro, não aconteceu ainda.

Assista abaixo um vídeo falando da importância da obra na voz do editor Felipe Vale da Silva:

O livro

O livro totalizará aproximadamente 300 páginas. Com o formato 16x23cm em papel Pólen Bold 90g/m², terá a capa brochura (“capa mole”). A tradução a partir dos originais em inglês (e em alemão, no caso dos apêndices de Zetkin e Kautsky) são de Felipe Vale da Silva.

A parte gráfica e revisão ficam por conta de Guilherme Henrique Nahes Alonso. A capa mostrada no início desta postagem, só para ilustrar, é uma prévia.

Textos complementares

O projeto editorial do livro contempla quatro paratextos, na forma de apêndices. Neles, quatro figuras centrais do socialismo alemão, inglês e estadunidense estão traduzidos a partir do original de forma que tenhamos um contexto mais amplo dos debates daquela virada de século XIX para o XX:

  • O prefácio de Clara Zetkin à tradução alemã de Olhando para Trás de 1914. Este texto não consta nem em suas obras completas e argumenta a favor da importância da ficção literária na divulgação de ideias políticas para as massas despolitizadas, contanto que se acompanhem estudos teóricos.
  • Uma resenha de William Morris, escritor inglês contemporâneo de Eleanor Marx e Bernard Shaw. Ele escreveu para o jornal Commonweal de 1889 onde critica o centralismo estatal na visão de futuro de Bellamy.
  • Uma outra resenha, agora de Karl Kautsky, que assim como Morris, faz crítica na longa resenha Der jüngste Zukunftsroman para o jornal Die Neue Zeit (1889) apontando a falta de rigor teórico de Bellamy, além da impossibilidade de uma transição para o socialismo no universo ficcional proposto no livro.
  • O quarto apêndice tem o título Edward Bellamy was a friend of mine de Eugene Debs, escrito na ocasião da morte prematura de Edward Bellamy. Aqui Debs explica a importância daquela obra para um país ignorante das ideias socialistas e da complexa filosofia alemã.

O autor

Edward Bellamy - Escritor
Edward Bellamy – Escritor

Edward Bellamy foi o caso de um escritor que fez legiões de gente trabalhadora dos EUA se interessar pelo socialismo, e ouvir esse conceito pela primeira vez na vida. Primeiramente o socialismo chega no pais pela literatura, e só depois pela teoria, pela década de 1890. Depois do lançamento, o livro conquista de tal forma as pessoas que criam inúmeros clubes pelos EUA, em mais de trinta estados da federação. Os clubes discutiram a possibilidade de se concretizar um mundo como aquele. Assim sendo, ao lado de obras como Ben-Hur e Uncle Tom’s Cabin, foi o livro de ficção mais vendido no país durante todo o século XIX.

Devemos apoiar sempre a cultura!

Em conclusão precisamos apoiar esta campanha de financiamento no Catarse do livro Olhando para trás: de 2000 a 1887 de Edward Bellamy. Uma obra singular que o público brasileiro terá acesso pela primeira vez em português.

Não deixe de apoiar as editoras independentes!

Apoie a cultura!

Se você curtiu esta postagem, clique no botão curtir e deixe um comentário abaixo para que possamos trocar mais ideias!

Deixe uma resposta

Powered by WordPress.com. Tema: Baskerville 2 por Anders Noren

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: