Vestígios – Mortes nem um pouco naturais, de Sandra Abrano

Histórias de um tempo difícil

Apesar do aparente esquecimento de uma época tão pesada quanto foram os anos ditatoriais no Brasil, Sandra Abrano nos entrega uma história policial muito interessante em Vestígios – Mortes nem um pouco naturais.

Vestígios Mortes nem um pouco naturais - Sandra Abrano - Editora Bandeirola

Publicado pela Editora Bandeirola, é um livro que leva o leitor aos últimos anos do governo militar no Brasil. Começando seu relato em 1976, a história segue até os primeiros anos de 2000. Um relato que certamente vai te fazer refletir sobre a época e seus abusos.

Vidas, política e destinos

A história conta como o destino de seus personagens é significativamente abalado após os eventos que aconteceram ainda nos anos ditatoriais brasileiros, mesmo eles estando nos anos 2000. Os desmandos e violências daqueles alinhados com o regime são postos às claras, mostrando como agiam nas sombras e executavam sua barbárie. Entretanto, os exageros da oposição aparecem também e deixam no ar muita reflexão ao leitor.

O enredo desnuda como o extremismo deixa profundas marcas nas pessoas. Isso vale mesmo para aquelas que não viveram os anos da ditadura no Brasil. Sem dúvida alguma, foi uma das características que mais gostei nessa leitura. Ademais, é um livro que não fala apenas da história política, mas como ela influencia a história futura das pessoas. Seus personagens são gente como a gente. Amigos, parentes e conhecidos. Pessoas do povo, com suas falhas, qualidades e segredos.

Ao final, temos a nítida ideia do quão importante é conhecer a história de seu país. Somente através desse conhecimento poderemos não repetir erros passados. Por isso, num momento tão polarizado e difícil que vivemos, esta obra se mostra inegavelmente atual. Exatamente por falar de um momento obscuro da vida brasileira, precisamos deste confronto para gerar a reflexão e repensarmos nosso futuro.

Considerações finais

Em suma, um livro que precisamos ler para perceber que as marcas de um povo não podem ou devem ser facilmente esquecidas. Elas são cicatrizes que simbolizam os erros passados. Ainda que muitos teimem em não aceitar, aconteceram e devem nos ensinar. Serão por isso, mestres eternos que jogam luz onde em algum tempo existiu muita escuridão. Não devemos nos esquecer deste período, nunca!

Sandra Abrano - Editora e escritora
Sandra Abrano

Sandra Abrano permite esta viagem no tempo, com uma prosa boa, gostosa de ler. Mesmo que o tema seja pesado, seu texto o torna suportável, dando certamente oportunidade à reflexão. O leitor termina presenteado de muitas formas com uma leitura rica e fluída.

Então, já tinha ouvido falar deste livro? Me diga aí nos comentários!

Quer comprar outros títulos da Editora Bandeirola?
Clique aqui para ver outros títulos dessa editora!

Se você curtiu esta postagem, clique no botão curtir e deixe um comentário abaixo para que possamos trocar mais ideias!

Canto do Gárgula - Catarse
SEJA UM PATROCINADOR DO CANAL!

Deixe uma resposta

Powered by WordPress.com. por Anders Noren

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: