Lendas Rústicas, de George Sand

A autora que eleva a obra

De cara, aquele que começar a ler Lendas Rústicas, de George Sand, ficará impressionado pelas histórias que rondam a obra. Apesar de imaginar um autor homem, estamos falando na verdade de uma autora: Amandine Aurore Lucile Dupin. O nome masculino é o pseudônimo da Baronesa de Dudevant, que viveu de 1804 a 1876.

Lendas Rústicas - George Sand - Editora Serpentarius
Lendas Rústicas, de George Sand

A nota da tradutora Nathália Rondán ainda transporta o leitor para a vida e época desta mulher ímpar do cenário mundial. Seu texto mostra como ela viveu uma vida rica, não apenas financeiramente, visto que vivia exclusivamente de seus direitos autorais, mas também de uma liberdade incomum para uma mulher naquela época. 

Da nota, segue então um prefácio da própria George Sand, que coloca luz sobre a importância da recuperação de contos e histórias locais. Seu filho Maurice Sand ilustra o livro promovendo um material ainda mais rico em termos textual e imagético, que atiça a curiosidade. O livro é uma publicação da Editora Serpentarius e vale entrar em contato com a editora para a aquisição da obra.

Às histórias da tradição oral de Berry

Buscando salvaguardar os relatos que ouviu da região de Berry, a autora compila uma pequena coletânea de histórias curtas. 

Das doze histórias reunidas ali, gostei muito de As Lavadeiras Noturnas, A Grande Fera, O Quebra Galho, O Líder dos Lobos, O Lupeux e Lobisomens. Todas trazem o panorama da crendice regional francesa, que estamos acostumados a associar a cultura interiorana aqui no Brasil. 

São “causos” variados de um lugar que, apesar de distante do nosso cotidiano, ainda nos é fácil de ler, identificar e gostar. Abarcam assim aqueles aspectos de uma vida onde o fantástico e o real não possuem diferenças. Ambos convivem no imaginário do povo daquele lugar e por isso talvez os relatos sejam tão interessantes e ricos. 

Considerações finais 

Me sinto feliz de ter ajudado no financiamento coletivo desta obra. Sua edição é belíssima e dá à autora e à obra uma importância merecida. 

George Sand - Escritora
George Sand – Escritora

Para o leitor brasileiro de ficção, fica esta importante janela para um lugar e época que estão distantes de nós. Será fácil e gostoso perceber que todo lugar do mundo tem as suas próprias histórias absurdas. Ademais, ganhamos de certa forma um sentido interessante de identificação e nos vemos iguais, apesar de estamos longe.

O manancial de lendas do interior francês vai agradar àqueles escritores que buscam uma nova fonte de inspiração. Quem sabe não vem da região de Berry uma nova excelente história? Me diz o que achou nos comentários.

Se você curtiu esta postagem, clique no botão curtir e deixe um comentário abaixo para que possamos trocar mais ideias!

Canto do Gárgula - Catarse
SEJA UM PATROCINADOR DO CANAL!

Deixe uma resposta

Powered by WordPress.com. por Anders Noren

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: