Lavagem, de Shiko

Lavagem é visceral

Terminei impactado após ler Lavagem, de Shiko. Publicado pela Editora Mino, esta obra certamente não é para qualquer um, muito menos para os fracos. Por isso, se prepare para uma viagem pesada!

Lavagem - Shiko - Editora Mino
Lavagem, de Shiko

Consegui este exemplar emprestado pelo amigo Rafael Moreira, cujo acervo é tão vasto que terei de garimpar mais umas pepitas como esta. Foi muito bom conhecer o trabalho deste autor.

Lavagem é cru e cruel

Na história, um casal vive isolado. A esposa, uma beata evangélica e o marido, um ignorante xucro que vive com seus porcos no meio da lama. Ambos são analfabetos e a relação limita-se a algumas poucas palavras. 

O isolamento de ambos, tanto físico, quanto sentimental, cria as condições perfeitas à violência e à loucura. Some a isso um fervor religioso e a vida dura. Em suas parcas capacidades de ler a realidade, é na insanidade que nasce o terror. 

Vale o aviso de que contém gatilhos para questões de violência, mas nem por isso este quadrinho deixa de ser uma obra de arte do terror. Indo do psicológico ao gore sanguinário, suas páginas em preto e branco pingam em vermelho sangue bem vivo. 

Considerações finais 

A arte de Shiko é uma atração à parte, trazendo uma realidade através de feições sensacional e ângulos muito bem escolhidos. Um quadrinho visceral e cruel, mas ainda assim maravilhoso. 

Shiko - Desenhista e quadrinista
Shiko

Em resumo, já o deixo dentre minhas obras preferidas exatamente pelo impacto. Lavagem vai realmente te lavar a alma, se me permitem o trocadilho. Mas tenha certeza, sua alma não será lavada com água não.

Conhecia este quadrinho? Me fala aí…

Agora adquira o seu!

Suas compras através de nossos links ajudam a manter o blog.
Basta clicar nas imagens abaixo e comprar na loja virtual!

Se você curtiu esta postagem, clique no botão curtir e deixe um comentário abaixo para que possamos trocar mais ideias!

Canto do Gárgula - Catarse
SEJA UM PATROCINADOR DO CANAL!

Deixe uma resposta

Powered by WordPress.com. por Anders Noren

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: